26/04/2019

BOLSONARO ACABA COM CIÊNCIAS HUMANAS EM UNIVERSIDADES


Hoje pela manhã , Bolsonaro reafirmou que dará fim aos cursos de filosofia e sociologia


Em vídeo publicado no Facebook do presidente Jair Bolsonaro, Abraham Weintraub, do MEC, também disse que governo irá investir em 'faculdades que geram retorno de fato' e diminuir foco em cursos de filosofia e sociologia

Para Bolsonaro, os estudos de humanas não “respeitariam o dinheiro do contribuinte” e a educação deve servir para ensinar “leitura, escrita e a fazer conta e depois um ofício que gere renda para a pessoa”.




"A função do governo é respeitar o dinheiro do contribuinte, ensinando para os jovens a leitura, escrita e a fazer conta e depois um ofício que gere renda para a pessoa e bem-estar para a família, que melhore a sociedade em sua volta", disse

Paulo Freire e o “viés ideológico”

O Ministro Weintraub na tarde de ontem, citou Paulo Freire, morto em 1997, que é tido por muitos educadores como uma referência na área da pedagogia. “Por que a gente não pode discutir as coisas aqui? É dogma?”, questionou. “Aquele cara lá, o Paulo Freire. Aquele cara ali. Aquele mural, está vendo aquele mural? Eu acho que é dogma. A gente não pode discutir? Tudo que ele falou é certo? Vamos apresentar números e evidências.”

Atacar as ciências humanas é medida de caráter fascista

Bolsonaro e o novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, pretendem esvaziar o ensino e pesquisa em ciências humanas nas universidades.
 O motivo está explícito: Bolsonaro é inimigo do pensamento crítico, Bolsonaro é inimigo da reflexão. Ele quer uma sociedade de seres não pensantes. Assim, ele pode continuar com seus projetos reacionários sem que ninguém critique.

Bolsonaro quer uma sociedade em que prevaleça a fake news, formada por seres robotizados que acreditam em atrocidades, como o "nazismo é de esquerda" e "a terra é plana". Tomemos cuidados. Atacar as ciências humanas é uma medida de caráter fascista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário