01/05/2019

DEPUTADA DO PSL EXPLICA A EXTINÇÃO DE RESERVA CRIADA POR LULA

Ministro promete anular decreto que criou a maior área protegida de araucárias

Folha - A pedido de ruralistas, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, estuda anular o decreto de criação do Parque Nacional (Parna) dos Campos Gerais, a maior floresta de araucária protegida do mundo. No Paraná, resta menos de 0,8% de área contígua e bem conservada desse ecossistema, associado ao bioma mata atlântica.

O tema será tratado nesta quarta-feira (1º) em Ponta Grossa , em reunião do Ministro Salles com produtores rurais e empresários da região.


Questionada pela Folha,a autora da proposta, a deputada federal Aline Sleutjes (PSL-PR) argumenta que os 150 proprietários que ficaram dentro dos limites do parque, criado em 2006, até hoje não foram indenizados. “É preciso entender que, antes de existir o parque, já existiam as propriedades.”

Sleutjes afirma que outra alternativa é decretar a criação de um Monumento Natural , categoria de unidade de conservaçãoque protege apenas um elemento natural único, como uma cachoeira. Assim, a maior parte da área do parque ficaria liberado para agropecuária e mineração.

A deputada afirma que a área ainda está protegida devido à iniciativa dos próprios donos das propriedades, que continuam no local —os lugares abertos à visitação têm gestão privada.


A revogação de uma unidade de conservação, no entanto, se tornou mais difícil desde o ano passado. Em decisão unânime e comemorada por ambientalistas, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que unidades de conservação não podem ser extintas por meio de medida provisória.

Para Clóvis Borges, diretor executivo da SPVS (Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental), o eventual fim do Parana seria uma “pá de cal nas expectativas mais sérias de conservação de florestas com araucárias e campos naturais”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário