10/05/2019

Desarmamento é coisa de “democratas” como Hitler e Lula, diz Eduardo

'PROTEGER CASAS NÃO É PAPEL DA POLÍCIA', DIZ EDUARDO BOLSONARO

Eduardo Bolsonaro disse em evento com a “realeza” em São Paulo, nesta sexta (10), que desarmar a população é coisa de “democratas” como Adolf Hitler, Lula, Fidel Castro e Nicolás Maduro. O filho do presidente defendeu a ampliação da posse de armas e afirmou que é errado passar para a sociedade o entendimento de que o Estado tem obrigação de prover segurança a todos.

Embora tenha admitido “não ter tido tempo para se aprofundar” no decreto assinado pelo seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) discursou nessa quinta-feira (9), em defesa do direito a posse de armas durante um encontro promovido pelo Instituto Plínio Corrêa de Oliveira (IPCO) – entidade que nasceu de dentro da Tradição, Família e Propriedade (TFP) e que se define como uma associação criada para “preservar a Civilização Cristã”.


“A revolução Cultural, o governo Bolsonaro e a legítima defesa” foi o tema do fórum realizado no Club Homs, na Avenida Paulista, que reuniuapoiadores da monarquia, bolsonaristas e membros do IPCO. Pelo salão, garotos com uma faixa dourada no peito ajudavam os cerca de 600 convidados a se situarem e os convidavam a comprarem livros, broches ou bonés do instituto em uma loja improvisada.

"Como se fosse papel do governo defender todas as pessoas. Não é papel da polícia defender a sua casa quando alguém entra lá. Obviamente ela vai ser acionada e vai fazer o melhor de si. Então, quando alguém entra na sua casa, o primeiro responsável pelo combate é você", afirmou o parlamentar durante um evento no Instituto Plínio Corrêa de Oliveira (IPCO), criado no âmbito da Tradição, Família e Propriedade, entidade católica ligada à extrema direita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário