Pular para o conteúdo principal

“Quem se oferece ao vírus não deveria receber tratamento”, Pedro Cardoso sobre Bolsonaristas


O ator Pedro Cardoso foi ao Instagram para dar sua opinião sobre as manifestações promovidas por militantes bolsonaristas contra o isolamento social. Leia a baixo nas palavras dele

"Não existe Brasil. Existe um amontoado de gente jogado no mesmo pedaço de chão, convivendo forçosamente, obrigados a se dizer pertencer a mesma nação. O Brasil é falso como a letra do seu hino, que, aliás, é feia e mal escrita.

O Brasil nunca foi gigante porque ele nem sequer existe. Nenhuma nação surge de 350 anos de escravidão. Eu me recuso a compartilhar nacionalidade, e o consequente patriotismo, com pessoas que fazem baderna em tempos de necessário isolamento social.

Qdo um infectado entra num hospital ele expõe a risco médicas, enfermeiras e todos que forem cuidar dele. Fazer o impossível para não se infectar é uma obrigação para com os outros. Na minha opinião, quem se oferece ao vírus em aglomerações voluntariosas não deveria receber tratamento caso adoeça. Se o vírus é uma invenção, como dizem, que se curem sozinhos; e não venham arriscar a vida de quem, com sacrifício, está dedicado a salvar vidas. Eu não pertenço a mesma nação que essas pessoas. Sou juridicamente brasileiro. 220 milhões de pessoas o são. Mas é mera formalidade. Não posso pertencer a um país que não existe.

O que existe são grupos identificados por igualdade pretendida. Grupos de militares, de comerciantes, de artistas sertanejos, de latifundiários, de fundamentalistas de falsas religiões e por ai vai. Cada grupo chama a si mesmo de Brasil como se todos os nascidos nesses limites geográficos fossem iguais a eles.

 Não somos. Eu não faço buzinaço em porta de hospitais nem clamo por ditadura militar. Não pertenço a nação de quem o faz. É com pesar que sou obrigado a compartilhar com gente assim o mesmo espaço geográfico.

O País que eu nasci é o do sonho de Criolo, Mano Braun, Ruth de Souza, Pixinguinha, Chico Mendes, Leonardo Boff, Chico Buarque, Caetano Veloso, Fernanda Montengro, Amir Haddad, D. Ivone Lara, Catulo da Paixão Cearense, Dolores Duran e tantos a quem posso chamar de irmãos.

 Os outros, esse grupo abjeto de pessoas incivilizadas, sádicos agressores de indefessos, ocuparam a terra do país imaginado pela arte produzida pela minha gente. Roubaram até as cores da bandeira. Verde e Amarelo se tornou uma combinação repulsiva. Bandeira feita mortalha". escreveu ele

Popular

Vídeo; Damares participa de desafio do copo de leite, símbolo de supremacistas raciais

Damares participa de desafio do copo de leite, símbolo de supremacia racial  Para Adriana Dias, que é doutora em antropologia social pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e que há anos pesquisa o fenômeno do nazismo, há uma referência clara entre o episódio e o neonazismo. “O leite é o tempo todo referência neonazi. Tomar branco, se tornar branco. Ela vai dizer que não é, que é pelo desafio, mas é um jogo de cena, como eles sempre fazem”, declarou à Fórum.

“Nacionalistas brancos fazem manifestações bebendo leite para chamar a atenção para um traço genético conhecido por ser mais comum em pessoas brancas do que em outros – a capacidade de digerir lactose quando adultos. É uma tentativa racista para se embasar em “ciência” p/ diferenciar e justificar a “raça branca”. Mas como já provado e explicado por toda ciência: Não há evidência genética para apoiar qualquer ideologia racista. O que há, é na verdade, um governo tosco e motivado pelo ódio”, afirma o também antropólogo D…

VÍDEO,ANONYMOUS DIZ QUE BOLSONARO TEM LIGAÇÃO COM TRÁFICO DE CRIANÇAS E AMEAÇA DIVULGAR PROVAS

O Anonymous se manifestou no Twitter, para aderir às manifestações antirracistas que explodiram por todo os EUA . O grupo afirmou que vai divulgar "muitos crimes" cometidos pela polícia norte-americana. Além disso, o Anonymous também citou o presidente brasileiro Jair Bolsonaro e outros famosos, que teriam envolvimento com o tráfico internacional de crianças por meio de John Casablancas, amigo de Donald Trump.

"Algo que as pessoas devem olhar no Brasil é investigar se Bolsonaro tem algum vínculo com o traficante e estuprador de crianças John Casablancas, um associado próximo de Trump, que atuou como proxy para os negócios de Trump no Brasil sob algum cargo obscuro e indefinido”, dizem os hackers

A página do coletivo também acusou diretamente Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, de ter ele mesmo praticado tráfico de pessoas, aliado a Jeffrey Epstein – denunciado por controle de rede de tráfico de pessoas.


“Depois de 6 anos inativos, o grupo de hackers "Anon…

Flávio Bolsonaro pagou R$ 500 mil para advogado de Queiroz

Advogado da família Bolsonaro foi pago com dinheiro do fundo partidário A pedido do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), o PSL nacional, partido ao qual era filiado na época, contratou em fevereiro de 2019 o escritório de advocacia de um ex-assessor que teve o nome envolvido no esquema das rachadinhas e no suposto vazamento de informações da Polícia Federal em benefício da família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O contrato valeu por 13 meses e meio e teve custo de ao menos R$ 500 mil, tirados do fundo público partidário.

O relatório fiscal do PSL de 2019 mostrou que o advogado Victor Granada Alves (Granado Advogados Associados, do qual Victor é sócio) foi contratado com verba do fundo partidário. A função de Victor era fornecer atendimento jurídico ao diretório da legenda no Rio de Janeiro, sob o comando de Flávio, a começar de fevereiro do último ano.

O advogado recebia mensalmente R$ 40 mil. Além disso, Mariana Teixeira Frassetto Granado, uma das sócias do escritóri…