segunda-feira, 15 de junho de 2020

HITLER MORREU COM GOLPES DE FACÃO. EM BETIM (MG)


O Tempo -  Após ameaçar de morte a companheira, Hans Hitler Santos, de 25 anos, foi morto a golpes de facão.  Os suspeitos do crime são o sogro e um cunhado do jovem, que ainda não foram localizados.

De acordo com a PM, Hans Hitler Santos ameaçou a mulher com um canivete e o pai dela, de 44, e o irmão, de 19, foram tirar satisfação.

Na discussão, iniciou-se uma briga. Hans foi ferido na cabeça, braço, tórax, costas e perna esquerda.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado e constatou a morte.

A mulher da vítima confirmou que o marido tentou agredi-la com canivete e o pai foi defendê-la.
Traição e tapa na cara

A agressão de Santos à mulher teria acontecido após ele, supostamente, ter descoberto uma traição da companheira. Ao saber do caso extraconjugal, o jovem deu um tapa na cara da mulher, segundo testemunhas contaram aos familiares de Santos.

"O meu irmão criava cavalos e, por esse motivo, tinha um canivete. O canivete estava na cintura. A gente espera agora Justiça. Podiam ter conversado, nada justifica o que fizeram ", finalizou.

"Meu filho estava quentinho ainda. Deitei no sangue com ele", diz mãe de vítima

Pedindo calma aos familiares ao perceber a chegada da imprensa, dona Joelina Maria Francisca de Souza, de 60 anos, contou que estava em casa quando o filho foi assassinado.

A família mora na mesma rua em que o homicídio aconteceu. "Eu acabei de tomar banho e fui para o meu quarto. Escutei muitas mulheres gritando, subi para o terraço e vi a movimentação. Vesti uma roupa de dormir e desci correndo. Meu filho tem o apelido de "Pé". Eu falei: 'ô, gente, fala para mim que não é meu Pé'", disse a dona de casa

Os suspeitos do homicídio, de 44 e 19 anos, fugiram. Já um segundo cunhado de Santos foi localizado na casa de um familiar. Ele negou participação no crime. No entanto, uma testemunha afirmou que ele também seria responsável pelos golpes de facão. A versão da testemunha é contestada por toda a família, uma vez que essa pessoa que denunciou a participação seria amiga do homem assassinado.

Santos, que, segundo a polícia, já tinha antecedentes criminais por homicídio, tráfico de drogas e roubo foi encaminhado ao posto do Instituto Médico Legal (IML) de Betim. Os envolvidos no caso foram levados para delegacia de plantão da cidade.